segunda-feira, 4 de junho de 2018

Gémeos: atração turística

Decidimos aproveitar o feriado e passar as primeiras mini-férias com filhos.
Sim, é uma aventura passar 4 dias fora com gémeos de 2 meses e meio. Mas foi uma boa aventura e correu bem.

O que levamos:
2 conjuntos interiores para cada um para cada dia
2 roupas para cada um para cada dia
Mantinhas
1 pacote de fraldas
Toalhitas
Produtos de higiene (aproveitei que tinha muitas amostras e assim não ocupou espaço quase nenhum)
2 termos
Biberões
Fervedor elétrico
Lata do leite
Aero-om
Infacalm
Ben-u-ron para o caso de ser preciso

Durante a viagem fizemos várias paragens para descansar, tomar um café, almoçar, dar biberão e mudar fraldas.
O Hotel disponibilizou berço e banheira.
De manhã, antes de sairmos do hotel, aquecíamos água no fervedor que levamos para o termo e preparávamos as doses do leite para cada um. Tomávamos o pequeno-almoço e lá íamos nós passear todos juntos 😃
Ao final da tarde, regressávamos ao hotel, descansávamos e brincávamos um bocadinho com eles. Voltávamos a sair para jantar e à noite, banhinho aos dois com direito a massagem, leitinho e caminha.

Agora, isto de passear com gémeos às vezes torna-nos numa atração turística! Somos constantemente abordados na rua para espreitarem os bebés e fazer as típicas perguntas “São gémeos?”, “Mas já tinham gémeos na família?”, “Dão muito trabalho?”, “São falsos ou verdadeiros?”. E os comentários “Que sorte! Um casalinho!”, “Que giro, parecem dois bonequinhos.”, “Que engraçado! Um parecido com o pai e outro com a mãe.”, “Isso é que foi pontaria!”. E quando não nos abordam ficam a olhar para nós, sorriem e seguem-nos com o olhar. Claro que ficamos todos babados e vaidosos mas às vezes torna-se cansativo responder às mesmas perguntas, principalmente quando queremos estar no nosso cantinho sossegados e lá vem alguém meter conversa e admirar os bebés.
No hotel, estávamos nós esfomeados e desejosos por desfrutar do pequeno-almoço e tivemos uma plateia à nossa volta a olhar para os bebés que dormiam no ovo. Os funcionários do hotel reuniram-se a nossa volta e ainda chamavam alguns colegas para virem espreitar um casal de gémeos tão pequenino.
Nos restaurantes, metiam sempre conversa. Mas o melhor episódio foi num local turístico que visitámos. Estávamos com os dois ao colo para tirar uma foto quando se aproxima um grupo de turistas chineses. Assim que nos viram aos 4 pararam todos a sorrir e falar não sei o quê lá na língua deles. Só sei que de repente tínhamos uns 15 chineses à nossa volta a fotografar-nos sem parar 😠 Nem sequer perguntaram se podiam! Ou talvez tenham perguntado e nós obviamente não percebemos 😒 Eu e o marido ficamos ali parados, meio à toa, sem reação, como se fossemos uma atração turística! 😳 A esta hora, as fotos dos nossos filhos e da nossa cara de WTF anda para aí a circular na China!

E pronto. Fora isto as nossas mini-férias correram bem e foi muito agradável 😊

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Consulta e Vacinas

Hoje, já com 2 meses e meio foi dia de consulta e vacinas no Centro de Saúde.
Isto de ir às consultas é sempre uma aventura!
Entramos os 4 para a apertada sala de enfermagem e a assim que a enfermeira viu os bonequinhos disse logo “Caramba! Ele deu um salto!”. Verdade. Quem viu o D. nos primeiros dias de vida e quem o vê agora fica espantado com aquilo que cresceu! Ou melhor, que engordou!
Começámos a saga do despe, veste, tira e põe. Primeiro foi o piruças que odeia tirar a roupa. É cá um friorento! E logo a seguir, foi a vez da nenuca.

Peso do D. 4.460kg. Comprimento 52cm.
Peso da B. 4.400kg. Comprimento 56cm.

Estão com pesos praticamente iguais! 😮
Ela está uma grandalhona e ele está um gorduchinho 😊
A nossa enfermeira apontou o que tinha a apontar. Pediu para os deixarmos despidos da parte de baixo e para aguardarmos que o colega chegasse. É que ela não gosta de picar os pequeninos e chama sempre um colega para o fazer.
Entra o tal colega e o Dr. S. (nosso médico de família) e de repente ficam todos à conversa uns com os outros enquanto preparavam as picas como se nada fosse. E nós com eles ao colo a morrer de medo que os nossos bebézinhos sofressem.
Primeiro foi o D. que estava no colo do pai. Pimba! Uma pica em cada pernoca gorda. Choro imediato. Logo a seguir foi a vez da B. que estava no meu colo. Pensei que fosse fazer o seu choramingo delicado mas... enganei-me redondamente! Não é que a rapariga sabe gritar? 😮 Grandes goelas!
Bem, aquilo deve ter doído mesmo. Tadinhos dos meus pequeninos 😢 Com miminho, colinho e chucha lá passou a choradeira em poucos minutos.
Por último, a enfermeira deu a Rotarix a cada um. Esta vacina está fora do plano nacional de vacinação e por isso não é comparticipada. Tivemos que a comprar e custou cerca de 59€ cada uma. É contra as gastroenterites provocadas pelo rotavirus. Pelo menos esta não é com pica mas sim de beber. Posso dizer-vos que a enfermeira ficou espantada com o D. “Ui! Nunca vi tal coisa! Todos os bebés odeiam isto e ele gostou!” Sim, o meu gorducho é um comilão. Nunca sobra nada no biberão e até as vacinas ele bebe com o maior prazer. Até agarrou aquilo com as mãos e bebeu como se fosse um delicioso batido de morango. Nham nham!
A enfermeira ficou a achar que o menino estava a morrer de fome 😒

Não houve nada de febre nem nenhum efeito estranho.
Venham as próximas picas.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Cólicas

Malditas!
Felizmente os meus bebés não são daqueles que que têm fortes ataques de cólicas e que passam horas a chorar. Mas ao final do dia e de vez em quando a meio da tarde lá vêm elas. E custa-me tanto vê-los assim! O D. chora inconsolavelmente e esperneia e braceja de nervos, a não ser que o vire de barriguinha para baixo. A B. encolhe-se toda no colo e faz aquela carinha de sofrimento e as vezes choraminga quando vem aquela cólica mais forte. Quando lhe massajo a barriguinha ela estica as perninhas enquanto se queixa "Eia, eia!". São assim os choramingos dela 😂
Já experimentei algumas coisas para tentar melhorar este desconforto.

Biogaia -  5 gotas, 2 vezes por dia. Não notei nada.
Colimil -  1ml 2 vezes por dia. Melhorou um bocadinho mas nada de especial
Infacalm - 8 gotas, 4 vezes por dia. Posso dizer que melhoraram bastante! As cólicas praticamente acabaram. Muito eficaz! O problema é que eles odeiam o sabor daquilo e é um castigo para lhes conseguir dar as gotas. Às vezes cospem tudo 😐
Aero-Om - Grande clássico! Este anda sempre comigo para todo o lado. Não faz rigorosamente nada às cólicas mas é docinho e eles adoram. Quando estão mais chatinhos, uma ou duas gotinhas na chucha e eles lá ficam calminhos ☺

Para além disto também faço massagens à barriguinha, ginástica com as perninhas e aquela técnica com a canula do bebegel que a minha amiga Mikas me ensinou. Corto a parte de trás do bebegel, esvazio aquilo tudo e introduzo no rabinho. Resulta!


Também comecei a preparar os biberões com água Vimeiro Original.
Agora vou experimentar o famoso Infacol. Talvez gostem mais do sabor, vamos ver.

sábado, 26 de maio de 2018

Sair de casa com gémeos

Outra das coisas que ouvia na gravidez era "Tu nem vais sair de casa. Com dois não dá."
Porque não?? Dá sim! Claro que dá.
As primeiras saídas deixavam-me um bocadinho ansiosa. Tinha que fazer uma lista mental das coisas que era preciso levar. Agora já é automático.
Sair com dois não deve ser muito diferente de sair com um. A diferença é que temos que levar a tralha a dobrar.

Tenho o saco sempre semi-preparado com
♡ fraldas
♡ toalhitas
♡ resguardo para mudar as fraldas
♡ porta-chupetas com duas chuchas suplentes
♡ porta-documentos com todos os documentos deles
♡ um frasquinho de Aero-Om. Eles adoram e é muito útil para o caso de estarem mas chorões. Umas gotinhas na chupeta e eles ficam calminhos.
♡ 2 fraldas de pano
♡ muda de roupa para cada um

Na hora de sair, ponho 2 biberões para cada um, termo com água aquecida, doseador com o pó para o leite.

Sei que as opiniões divergem muito relativamente à idade ideal para sair com os bebés. Há quem saia com os bebés logo na primeira semana de vida para todo o lado e há quem espere 3 ou 4 meses para a primeira saída. Por aqui, e sei que muitas de vós vai discordar, saímos com eles desde as 3 semanas de vida. Quando digo sair refiro-me a saídas sem ser para as consultas, claro. Até porque a primeira saída com eles para consulta foi com 1 semana de vida. Uma consulta de oftalmologia que já ficou marcada antes de sairmos do hospital. No final viemos logo para casa.
A primeira saída foi para jantarmos num restaurantezinho da nossa cidade, que é calminho e nunca tem muita gente. Ficamos num cantinho com espaço para por o carrinho ao nosso lado e correu muito bem. Como saímos no intervalo das mamadas (que nessa altura ainda eram de 3 em 3 horas) nem precisamos de os tirar do carrinho. Saíram de casa a dormir e chegaram a casa ainda a dormir, sem terem acordado. A partir daí, saímos todas as sexta-feira para jantar e ás vezes também aos sábados. Sim, somos um casal que adora jantar fora ☺
Quando está bom tempo, também saímos para uns passeios pela cidade ou para lanchar numa esplanada.
Para o shopping, que é um ambiente mais pesado, fomos a primeira vez, tinham eles umas 6 semanas, para comprar umas roupinhas para eles que estavam a precisar. E claro, vamos muitas vezes a casa da avó.

Todas as saidas correram sempre muito bem. Dormem a maior parte do tempo porque o movimento acalma-os e adormece-os. É quase instantâneo.

Portanto, sair com bebés não tem que ser complicado. E sair com 2 não é assim tão diferente de sair com 1. Acho eu.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Quando um chora

... o outro também chora?
Durante a gravidez fartei-me de ouvir “Estás lixada! Quando um chorar o outro vai chorar também.”
E agora perguntam-me muitas vezes “E então? É verdade que quando um chora o outro chora também?” A resposta é... NÃO! Nada disso. Posso dizer que muitas vezes tenho os dois juntos no berço e o D. “dá-lhe os azeites” e chora, ou melhor, grita a plenos pulmões. E a B. fica na dela, na boa. Às vezes até se sorri porque me vê a aproximar do berço para pegar no D. 😄 E se estiver a dormir nem sequer acorda. É uma aterrada!
Quando é ao contrário, o que é muito raro, se o D. estiver a dormir e a B. choramingar, ele acorda (tem sono leve) meio zombie mas volta a dormir ou então espreguiça-se todo e fica na dele.
Sim, já aconteceu chorarem os dois ao mesmo tempo por estarem os dois com fome. Acontece às vezes depois do banho porque estão os dois esfomeados mas não é sempre. Mas como o D. berra muito alto, o choro da B. quase nem se ouve, coitadinha.
Portanto, não é o choro de um que faz chorar o outro.

Há uns dias, uma das pessoas que me fez essa pergunta afirmou que na maternidade onde teve o bebé dela era assim. Um lembrava-se de chorar e automaticamente choravam todos. Era uma choradeira pregada! Talvez alguns bebés sejam assim, não sei. No meu caso, os meus bebés não se importam mesmo de ouvir o choro do outro. Talvez isso até venha a mudar mas para já é assim.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Como é cuidar de dois?

A pergunta que todos me fazem: “E então? Como é cuidar de dois bebés?”, “Está a correr bem?”
Ora, cuidar de dois é... sei lá, cuidar de dois! Estão a ver o que é cuidar de um? Pronto, é isso tudo mas a dobrar. Se é difícil? Não considero que seja difícil. É cansativo, sim. Mas não é difícil, as coisas fazem-se. E posso dizer-vos que o faço sozinha a maior parte do tempo.

O banho
Dou banho no quartinho deles que é onde tenho tudo à mão. Aqueço o quarto, ponho tudo pronto para os dois (roupas e toalhas) e levo a banheira com a água à temperatura ideal. Deito um num dos berços, enquanto dou banho ao outro. Quando termino, mudo a água e troco de bebé 😄 O primeiro vai para o berço e outro vai para o banho.

As mamadas
Neste momento já só bebem leite adaptado (falarei sobre isso noutro post). Preparo os dois biberões, deito-os lado a lado, inclinados de forma a ficarem mais levantadinhos e dou o biberão aos dois ao mesmo tempo. Depois é fazê-los arrotar, um de cada vez, claro.

Durante a noite
Para me facilitar a vida e porque a nossa casa tem dois pisos, levo os biberões, água aquecida num termo e as doses do pó para cada um no doseador. Assim tenho tudo à mão prontinho para preparar o leitinho durante a noite.

Apesar de serem irmãos gémeos não podiam ser mais diferentes um do outro. Em tudo!
Ele tem pele muito clarinha, cabelo clarinho e olhinhos que neste momento parecem azuis.
Ela é moreninha, cabelo escurinho e olhinhos escuros.
Claro que a cor dos olhos e do cabelo mudam nos primeiros anos de vida mas neste momento são assim. E o temperamento deles também não poderia ser mais diferente. A B. é uma bebé muito calminha, quase nunca chora, só mesmo uns choramingos para reclamar quando tem fome ou quando quer a chupeta. E claro, quando tem cólicas que felizmente são poucas. Nunca chorou por mudar a fralda nem por tomar banho. É aquela bebé que não precisamos de adormecer no colo. Deito-a e ela fica calminha e adormece sozinha. Durante a noite dá muito jeito que seja assim! Até o choro dela é bom de ouvir, é engraçado. Parece mesmo que está a ralhar 😆
O D. é um bebé que não sendo difícil, é mais chorão que a irmã. Até há poucas semanas chorava sempre que lhe mudávamos a fralda. No banho só se acalma quando o viro de barriga para baixo. Está visto que não gosta de se higienizar este miúdo 😝 Também se aborrece por estar sozinho e é mais dependente de colinho, embora esteja a aprender a ficar calminho quando não está no colo. O problema é que quando chora, minha gente, parece que engoliu uma sirene! Ah pulmões fortes!
Mas no geral, posso dizer que tenho dois bebés fáceis. Dormem bem, comem bem e à noite não chateiam muito. Têm algumas cólicas de vez em quando mas isso faz parte. E felizmente nunca atacam durante a noite.

Temos um casal amigo que teve uma bebé que nasceu poucos dias depois dos nossos e queixam-se que estão os dois exaustos e que não têm tempo para nada. Outros casais que conhecemos, disseram que tiveram que se mudar para casa dos pais/sogros temporariamente porque precisavam de ajuda para cuidar do bebé. No meu caso, cuido dois dois sozinha a maioria do tempo. Ao final do dia, o pai chega e ajuda. Fazemos o jantar ou compramos a comida já feita, depende. Também há tempo para tratar das roupas e da casa e de nós. As únicas mudanças que fizemos foi mandar a nossa roupa para passar fora. É só por a lavar e secar e depois mandamos para a senhora que passa a ferro. As roupinhas deles trato eu sozinha. E também temos uma senhora que vem 1 vez por semana fazer a limpeza semanal.

Portanto, da minha experiência, cuidar de gémeos é assim.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

2 meses

No dia 16 de Maio, os meus bonequinhos completaram 2 meses ❤️❤️
Estão cada vez mais fofinhos e eu estou cada vez mais apaixonada por eles! 😍

Já vos disse que adoro ser Mãe?